Ciclo vicioso da não prática de atividade física

Como todos sabemos a prática de atividade física e desporto traz-nos inúmeros benefícios para o corpo em geral assim como para a nossa mente.

A prática regular de atividade física traz-nos benefícios ao nível da melhoria do sistema cardiovascular, aumento do sistema imunológico, saúde mental, diminuiu o risco cardiovascular, combate o excesso de peso, melhora a auto estima, promove a sensação de bem estar por libertar endorfinas, diminui o stress, melhora a nossa força, resistência, velocidade e flexibilidade, melhora as nossas capacidades coordenativas, a postura, a aparência da pele, fortalece os nossos ossos assim como aumenta a circulação sanguínea cerebral.

Recomenda-se a todos os indivíduos a prática de atividade física regular, segundo a DSG devemos praticar atividade física de pelo menos 30 minutos diários de intensidade moderada. Recomenda-se também que os adultos acumulem, pelo menos, 150 minutos por semana de atividade física de intensidade moderada, ou 75 minutos de atividades vigorosas.

Faltar a um treino pelas mais variadas razões, podem ser elas por doença, compromisso profissional, familiar entre outras não terá grande impacto no desempenho físico para quem treina de forma sistemática ao longo de um período alargado de tempo, mas nota alguma diferença mesmo que mínima no seu desempenho físico.

Contudo o abandono da prática ou o não treino sistemático sim, traz-nos consequências e podemos entrar num ciclo vicioso de não treino.

Muitas das vezes falhamos um treino por preguiça, falta de motivação ou até mesmo quando o treino é aquela primeira hora da manhã e o dia anterior foi longo acabamos por não ir treinar. Ao não ir treinar ficamos com a sensação de culpa ( eu devia ter ido treinar, o próximo treino já vai custar a entrar no ritmo...), ou retomamos os treinos como até aqui tem acontecido ou continuamos a não treinar e começamos a ficar apáticos, ou seja, a ficar com vontade de não fazer nada, o que nos leva a baixar automaticamente a nossa auto estima, acabamos por descuidar a nossa alimentação (vamos buscar a sensação de prazer e bem estar a algum lado, que até aqui encontrávamos na prática de atividade física) o que nos leva inevitávelmente a um aumento da massa gorda e peso, começamos a ter menos energia, baixa da condição física e de saúde.

Entramos num ciclo vicioso em que a retoma da atividade física passa a ser cada vez mais difícil, tardia e em muitos dos casos nunca mais retomada.

Continuidade no treino, foco no objetivo e determinação para o alcançar é o segredo para o sucesso. Bons treinos!