Karaté

HISTÓRIA DO GOJU-RYU

Uma breve história do Goju-Ryu

Bodhidharma foi um monge budista que viveu no século 6 e pensa-se que poderá ter sido o patriarca de todas as artes marciais. Poucas artes de combate têm uma história profunda e fascinante como a do Karate Goju-Ryu. Desde o templo de Shaolin e das origens chinesas do boxe, ao estilo de Naha-Te, ao seu desenvolvimento posterior em Okinawan Goju-ryu e à formação da IOGKF, a história da nossa arte atravessa centenas de anos. Passada de mestre para aluno, a história foi transmitida oralmente. No final do século XX, o Sensei Morio Higaonna documentou essas informações no agora famoso livro ‘Goju-ryu: The History of Karate’. Toda a história corresponde à história do Karate e é fruto da pesquisa do Sensei Higaonna ao longo do tempo.

O emblema da Federação Internacional de Okinawa Goju-Ryu Karate-Do (I.O.G.K.F.) foi introduzido em 1979 em Poole, Inglaterra.

O símbolo que se encontra no centro é o brasão da família de Chojun Myiagi, fundador do estilo Goju-Ryu. Esta parte do emblema, de forma quadrada e rígida, contrasta com o contorno redondo e flexível, personificando assim a tradução da palavra “Goju”, em que “Go” significa duro e “Ju” flexível.

No pensamento oriental o céu é considerado como sendo macio e circular, sendo a terra considerada dura e angular. Assim sendo, este emblema, ao combinar as configurações circular e angular, personifica também a vastidão do Universo. O Goju-Ryu manifesta ambos os extremos KenKon (céu e terra) e Yin e Yang.

Através do nome Goju-Ryu, Chojun Myiagi focou a sua percepção de duro e flexível sobre o desenvolvimento do carácter. Ele acreditava que através da modelagem da dureza do corpo e da mente, se podia desenvolver a força de carácter e criar um indivíduo que fosse verdadeiramente brando. Para Chojun Myiagi, cada estudante de karaté tinha uma missão e responsabilidade dentro da sociedade e o treino de Goju-Ryu deveria reflectir-se em todos os aspectos de uma vida saudável e bem sucedida do praticante. A dureza obtida através de horas exaustivas de treino técnico produziria a sensibilidade, a capacidade de julgamento e o carácter altamente moral que todas as pessoas deveriam possuir.

Chojun Myiagi utilizou muitas vezes a analogia a uma árvore de bambo para explicar o significado de Goju-Ryu. A jovem árvore é forte e direita, no entanto, quando ventos tempestuosos sopram, seria fatal lutar contra a tempestade. Então, ela simplesmente permanece dobrada para retornar à sua posição natural quando a tempestade passar. Este meio de sobrevivência controlado, flexível e eficaz impressionou Chojun Myiagi, como uma personificação do conceito de viver de uma forma dura, porém flexível e branda.